Scroll Top

Saúde Variedades

Onicofagia: Compulsão em roer unhas é sinal de alerta!

Roer a unha pode parecer normal. Mas muitos desconhecem os danos que pode causar à saúde se isso se tornar um hábito compulsivo. É a chamada onicofagia, que atinge homens e mulheres de todas as idades, sendo mais comum em crianças e adolescentes.

Para a psicóloga clínica de São Paulo Marina Genova, isso não é considerado um distúrbio, mas um sintoma de que algo não está bem. “Na psicologia é dito como um fenômeno subjetivo, que podem ser pensamentos, comportamentos, um sinal de que alguma coisa possa estar causando muito sofrimento, ansiedade e angústia”, explica.

Além disso, a psicóloga explica que há estudos que abordam a onicofagia. “Estes dizem que esse hábito pode estar intimamente relacionada à compulsões, ou seja, comportamentos adotados no alívio da ansiedade. Também pode associar-se  a depressão”, ressalta.
Outro motivo que leva as pessoas a roerem as unhas é o nervosismo. O analista de suporte de Santo André João Ângelo de Marchi Junior, de 22 anos, sabe bem disso. “Quando fico nervoso com alguma coisa é a hora que mais fico roendo as unhas”, diz.
O ato de levar a unha até a boca pode causar o seu desgaste, ocasionar cáries e até uma infecção. Para o dermatologista do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André, Valter Claudino, os problemas vão além da estética. “Além disso, esse ato estará eliminado a barreira de proteção da unha dando oportunidades à entrada de bactérias e fungos, ocasionando as infecções secundárias”, afirma.

A tecnóloga de Santo André Aline Cantão Lima, de 22 anos, é um exemplo. Ela roe as unhas desde criança e já provocou até sangramentos. Aos 15 anos teve depressão o que a fez roer mais ainda.  No mesmo ano, surgiu a gastrite e, por isso, teve que começar a se controlar.

“Com a depressão, eu ficava muito triste e ansiosa e roia muito as unhas, mas como tomava remédios para isso e para a gastrite tive que me controlar porque eles eram extremamente fortes”, relata. Para ajudar, ela passava esmalte com cheiro e gosto ruim. “ Mas não adiantou, porque me acostumei e continuei roendo”.
Aos poucos Aline está parando de roer as unhas. “Recentemente, consegui pela primeira vez pintar a unha de francesinha, parece besteira, mas para mim foi uma conquista”, comemora.

Recomendação – A psicóloga explica que o acompanhamento psicológico é bastante valioso e aconselhável para as pessoas que sofrem com isso. “Psicoterapeuta e paciente, poderão trabalhar e descobrir o que está por trás da ansiedade que  eventualmente está desencadeando aquele sintoma, além de observar outros conteúdos que fazem o paciente ser quem é”, afirma.

Ela ainda conta que produtos com gosto desagradáveis para passar nas unhas e evitar que sejam roídas, podem até amenizar. “Esse efeito será por um determinado período, porque na verdade o sintoma reaparecerá na mesma forma ou apresentado sob outra, que poderá ter também um caráter de automutilação ou não”.

7 dicas para deixar de roer as unhas

O ato de roer as unhas, conhecido cientificamente como onicofagia, é um hábito que afeta homens e mulheres, que pode iniciar desde criança e persistir durante a vida adulta, e está muito associado a ansiedade e sentimentos de insegurança.

Este hábito pode causar danos nos dentes e nos dedos, resultando em um aspecto descuidado, além de favorecer o desenvolvimento de infecções que devem ser tratadas.

Para deixar de roer as unhas, é recomendado controlar a ansiedade, que poderá ser a causa que está na raiz do problema. Entretanto, existem algumas dicas que podem ser seguidas para evitar este hábito, como:

1. Manter as unhas bem cortadas e lixadas

As unhas curtas evitam pontas que servem de tentação, evitando o hábito. Além disso, manter as unhas bem feitas e pintadas, semanalmente, com manicure, também é um estímulo a mais para querer manter as unhas bonitas e evitar mordiscar os dedos.

2. Pintar as unhas com esmalte especial

Os esmaltes para deixar de roer as unhas têm um gosto muito amargo, que fazem com que a pessoa evite colocar os dedos na boca. Eles são incolores, servindo para homens, mulheres e crianças acima de 4 anos, e podem ser comprados em farmácias.

3. Aplicar unhas falsas ou em gel

Cobrir as unhas com unhas postiças ou unhas em gel, além de melhorar a estética, diminui o impulso de roê-las, porque a pessoa ficar com receio de estragar a manicure.

Outra dica é cobrir uma ou algumas delas com curativo, e ao fim de uma semana, retirar e ver como a unha ficou mais bonita e saudável em comparação com as outras. 

4. Se distrair com uma bola anti-estresse

Adotar um novo hábito que substitua o de roer as unhas, como brincar com uma bola anti-estresse ou um elástico, por exemplo, são formas de ocupar a cabeça e as mãos com novas atividades ao invés de roer as unhas.

5. Mascar um chiclete

Principalmente nos momentos de maior ansiedade ou tédio, mascar um chiclete também é uma boa opção para evitar o vício.

SIGA O NOSSO INSTAGRAM ➜ https://www.instagram.com/_receitasnaturais/

6. Investir em um hobbie

Encontrar formas de aliviar a ansiedade, como ouvir música, conversar com alguém ou praticar atividades físicas após o trabalho, por exemplo, podem aliviar a ansiedade e fazer com que a pessoa tenha menos manias e hábitos viciantes, como roer as unhas.

7. Fazer uma alimentação equilibrada

Em alguns casos, o hábito de roer as unhas pode ser uma consequência de deficiências nutricionais, como falta de cálcio e/ou magnésio, por exemplo, que leva a pessoa a roer a unha, de forma a recuperar esses minerais.

Por isso, é importante manter uma dieta equilibrada, rica em vitaminas e minerais, de forma a evitar deficiências nutricionais.

Principais consequências

Algumas das principais consequências de roer unhas, que fazem com que seja importante abandonar este hábito, são:

  • Surgimento de ferimentos na pele dos dedos e nas cutículas, o que facilita a infecção por bactérias e fungos;
  • Deformações nas unhas, nos dedos e na pele ao redor, o que causa constrangimentos pelos efeitos estéticos;
  • Aumento das chances de desenvolver problemas gastrointestinais, como gastroenterites e gastrites;
  • Dificuldade para realizar algumas atividades, como tocar um instrumento musical, desenhar e escrever.

As unhas servem como proteção da parte superior dos dedos, para auxiliar na pressão que se exerce com os dedos, e como barreira para a entrada de micróbios no corpo e na corrente sanguínea, e, por isso, devem ser mantidas bem conservadas para impedir o adoecimento pelo contato com micro-organismos.

Por fim, Veja também: Como fazer limpa piso milagroso: mistura caseira para deixar sua casa brilhando

Conhece o canal do RECEITAS NATURAIS no Youtube? Lá temos vídeos de alguns artigos publicados no site, todos originais feitos exclusivamente para você.

E aí, você gostou de conhecer Onicofagia: Compulsão em roer unhas é sinal de alerta!!? Temos certeza que sim, por isso, corra agora mesmo e compartilhe este artigo com seus amigos e familiares. Até o próximo artigo.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.