Home / Emagrecimento / As 10 Dietas mais comentadas

As 10 Dietas mais comentadas

Confira as Top 10 Dietas mais comentadas nos últimos meses na internet e no meu site. Algumas podem somar no seu programa de emagrecimento, outras são quase loucuras.Mas lembrem-se que uma reeducação alimentar é o melhor caminho para o sucesso nessa jornada da perda de peso. Aproveite e conheça minhas dicas para a perda de peso. Para saber mais é só clicar!

1 – Dieta da Análise Facial

Dieta Facial

Quer perder peso? Comece pelo seu rosto. Além de ser uma parte sensível de nossa anatomia, ele também é afetado por muitas alterações que ocorrem no organismo. A falta de um ou mais minerais essenciais cria condições anormais que se manifestam através da face, causando alergias, doenças e ganho de peso.

A análise facial – criada a partir de teorias alemãs que utilizam princípios da bioquímica – é uma terapia personalizada, que envolve saber como a ação dos minerais afeta sua saúde, ajudando a reconhecer os sinais do corpo.

Essa dieta é planejada para equilibrar os minerais no corpo, afetando a queima de gordura, impactando nos níveis de energia, auxiliando na perda de peso, além de tornar unhas mais fortes, melhorar a textura e coloração da pele, dar brilho aos cabelos, amenizar linhas de expressão e rugas, aumentar a vitalidade, aumentar a paciência e a tolerância, melhorar a memória, eliminar problemas digestivos e aumentar a confiança. É uma lista longa de benefícios que vale apena conhecer.

Depois de identificar o seu tipo de rosto, é necessário seguir por dois dias uma dieta moldada exatamente para suprir as necessidades específicas de seu tipo de rosto que contenha todos os minerais necessários. Esses dois dias servem para equilibrar seu corpo, estimular o funcionamento do seu metabolismo, eliminar toxinas acumuladas em seu corpo e fornecer a você os minerais e nutrientes essenciais e corretos de acordo com o seu tipo de rosto.

Além dos alimentos recomendados para cada tipo de rosto, é necessário que você beba pelo menos 2 litros de água por dia; beba chás; coma quantos vegetais você quiser, exceto espinafre que deve ser consumido em quantidades limitadas; não acrescente sal ou pimenta aos alimentos; não acrescente açúcar; não ingira cafeína; não ingira bebidas diet ou gasosas; evite bebidas alcoólicas; evite laticínios, a menos que indicados; não acrescente óleo ou gordura a seus alimentos; não inverta refeições, trocando o que deve ser comido no almoço pelo jantar; siga o plano sugerido ao máximo; planeje com antecedência para deixar a dieta mais fácil para você.

Mais detalhes sobre a dieta facial podem ser encontrados no livro: A Dieta da Análise Facial (The Facial Analysis Diet), de Elizabeth Gibaud.

Ficou curioso? Então conheça um pouco mais sobre os 6 tipos de rosto e como identificá-los:

Tipo A

Descrição geral

Os sintomas e sinais faciais do Tipo A normalmente são causados pela glândula tireoide.

Sinais faciais: ponta do nariz brilhante; queda de cabelo ou cabelo fino; olhos esbugalhados; secura na pele. Outros aspectos: ocasionalmente, inchaço no pescoço; mãos e pés frios; mãos secas.

Tipo B

Descrição geral

Os tipos B são regidos pelo fígado, o órgão desintoxicante do corpo; O tipo B tem tendência a produzir muita bílis na tentativa de restaurar o equilíbrio do fígado, aumentando o desejo pelo açúcar.

Sinais faciais: tonalidade amarela na pele; nariz e orelhas avermelhadas; cor amarela ao redor da boca; língua áspera. Outros aspectos: costuma acordar de um sono profundo se sentindo exausta; falta motivação; sente náusea.

Tipo C

Descrição geral

O corpo do tipo C costuma reter líquido, ficando inchado especialmente nas mãos, pés, tornozelos e pernas.

Sinais faciais: inchaço sob os olhos; rosto inchado; pode haver uma linha vertical ou um sulco sob a ponta do nariz. Outros aspectos: tornozelos e dedos inchados; falta de concentração.

Tipo D

Descrição geral

O tipo D tem tendência ao reumatismo e à artrite. Em alguns casos, pode apresentar inflamações no corpo, manifestando-se por abcessos. Apresenta também personalidade rígida, com tendência ao perfeccionismo.

Sinais faciais: Zona T oleosa; poros abertos ou muito fechados; bochechas flácidas ou caídas; linhas horizontais na testa (isso pode indicar problemas de digestão). Outros aspectos: refluxo, especialmente depois das refeições; chulé.

Tipo E

Descrição geral

O tipo E é particularmente intolerante aos produtos lácteos e uma combinação de dieta pobre e estresse poderá causar eczemas e psoríase. O tipo E sempre apresenta uma coloração avermelhada sob as pálpebras e devem se certificar de estar ingerindo bastante vitamina B e C. Tendem a ser preocupados, mas adoram comida e precisam tomar cuidado com os excessos.

Sinais faciais: pele pálida com manchas vermelhas; círculos brancos sob os olhos; pele descamando ao redor da testa e no couro cabeludo; pele seca, especialmente embaixo das pálpebras e ao lado do nariz. Outros aspectos: pele seca nas articulações, como joelhos e cotovelos.

Tipo F

Descrição geral

O tipo F é o único que não se aplica às mulheres. Esse tipo é regido pela próstata e, por isso, refere-se apenas aos homens, mas isso não significa que todos os homens são do tipo F. Esse tipo precisa incluir alimentos protetores em suas dietas, como batatas e vegetais verdes.

Sinais faciais: testa vermelha; ponta da orelha vermelha; círculos escuros sob os olhos; rugas horizontais na parte superior dos lábios; língua áspera. Outros aspectos: cansaço geral; aumento na temperatura; sede; constipação; vômito ocasional.

 

Veja abaixo uma lista com alguns alimentos da Dieta Facial de 2 dias:

 

Tipo A

Alimentos irritantes: brotos de alfafa, todas as leveduras, cevada, chocolate, manga, castanhas, passas, vinho tinto, centeio, batata doce, vinagre, farinha branca.

Alimentos calmantes: maçãs, alcachofras, aspargos, trigo sarraceno, manteiga, camomila, aipo, cebolinha, pepino, gengibre, aveia, batata, agrião.

Bebidas calmantes: chá de camomila e limão, suco de cenoura e salsa, suco de cenoura, aipo e espinafre, chá de rosa mosqueta e camomila.

Tipo B

Alimentos irritantes: álcool, abacate, banana, queijo roquefort, chocolate, café, curry, tâmaras, malte, manga, laranja, amendoim, passas, marisco, batata doce, chá, farinha branca.

Alimentos calmantes: maçãs, alcachofras, aspargos, trigo sarraceno, damasco, repolho, cenoura, cereja, pepino, alho, toranja, couve, alho-poró, suco e casca de limão, alface, lima, fubá, aveia, cebola, salsa, pêssego, peras, ervilhas, ameixas, batata, ameixas secas, rabanete, espinafre, acelga, agrião.

Bebidas calmantes: suco de maçã e limão, suco de alcachofra, suco de pepino, cenoura e salsa, suco de sabugueiro, suco de toranja, suco de rabanete, suco de tomate, suco de agrião.

Tipo C

Alimentos irritantes: berinjela, banana, queijo, chocolate, coco, tâmaras, margarina, marmelada, nozes, amendoim, pimenta, alimentos processados, abóbora, frutas enlatadas, passas, carne vermelha, sal, nozes salgadas, molhos, molho de soja, batata doce, trigo, inhame e leveduras.

Alimentos calmantes: maçãs, damascos, amoras, brócolis, repolho, cenouras, aipo-rábano, aipo, cerejas, cebolinha, endívias, peixes (exceto os enlatados), lentilhas, aveia, cebola, papaia, salsa, pêssegos, ervilhas, abacaxi, batata, espinafre, acelga, carne branca..

Bebidas calmantes: suco de maçã, cenoura e menta, suco de cenoura, aipo, salsa e repolho, suco de cenoura, salsa e menta, suco de agrião, salsa, aipo e cenoura, água com uma fatia fina de limão ou lima.

Tipo D

Alimentos irritantes: álcool, berinjela, cevada, pão contendo levedura, chocolate, condimentos, manga, marmelada, maionese, massas, pastéis, tortas, carne vermelha, arroz, nozes torradas, marisco, molho de soja, tomate e vinagre.

Alimentos calmantes: maçãs, alcachofras, aspargos, amoras, repolho, aipo, acelga, cerejas, pepinos, endívias, rábano fresco, alface, fubá, aveia, farinha e flocos de quinoa, nabo.

Bebidas calmantes: suco de alcachofra, aipo e dente de leão, suco de cenoura, salsa e dente de leão, suco de cenoura e rábano, suco de aipo e rábano.

Tipo E

Alimentos irritantes: brotos de alfafa, brotos de bambu, banana, cerveja, queijos de todas variedades, especialmente queijo roquefort, tâmaras, ovos, manga, nozes, laranja, passas, marisco, molho de soja, morangos, tomate, melancia, leveduras.

Alimentos calmantes: maçãs, trigo sarraceno, manteiga, repolho, cenoura, aipo, cebolinha, melão, aveia, quiabo, cebola, papaia, salsa, batata.

Bebidas calmantes: chá de folha se raízes de bardana, suco de cenoura e maçã, suco de cenoura, repolho e salsa, suco de aipo, pepino e salsa.

Tipo F

Alimentos irritantes: brotos de alfafa, berinjela, broto de bambu, banana, cerveja, queijo roquefort, chocolate, maionese, laranja, manteiga de amendoim, manteiga, sementes de abóbora, vinho tinto, marisco, molho de soja, semente de girassol, batata doce, tomate, vinagre, melancia.

Alimentos calmantes: maçãs, alcachofras, aspargos, couve de Bruxelas, manteiga, repolho, alfarroba, cenoura, aipo, chicória, cebolinha, abobrinha, pepino, toranja, limão, lentilhas, lima, aveia, cebola, papaia, mamão, pêssego, abacaxi, batata, agrião.

Bebidas calmantes: suco de repolho, cenoura, salsa e aipo, suco de cenoura e maçã, água quente com uma fatia de limão.

 

2 – Dieta da Boca Fechada

A dieta da boca fechada

Em boca fechada não entram… calorias. Popular entre fisiculturistas, exercício AEJ (aeróbico em jejum) está na moda. Blogueiros e “celebridades fitness” espalham pela internet a prática que saiu das academias e conquista fãs desavisados. Afinal, do que se trata?

Se é para emagrecer, o interesse é grande. Tanto que, até dezembro, a busca por dietas de “jejum intermitente” no Google cresceu 230%. Para resumir, a teoria é de que devemos dormir com fome, para acordar com o “tanque” completamente seco. E, em seguida, sem nem uma bolacha sequer, malhar de 30 a 40 minutos de barriga vazia.

Segundo os praticantes, o AEJ se baseia na ideia de que, graças ao estoque baixo de carboidratos no corpo, o exercício feito em jejum utiliza a gordura que temos acumulada nas camadas profundas da pele e tecidos, como fonte principal de energia. Com o tempo, a pessoa sente menos fome, diminuindo a quantidade de alimentos ingeridos, trocando gordura extra por massa magra.

Entretanto, médicos e entidades como a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esportealertam que, apesar de ser popular, e até mesmo praticado por culturas do Oriente, não há consenso sobre o assunto. A preocupação é a de que, sem acompanhamento, esta dieta pode levar à destrutrição. Segundo especialistas, se exercitar sem comer não compensa. Como a atividade tem que ser de baixa intensidade, o gasto calórico acaba sendo inexpressivo.

É preciso se informar. Recentemente foi lançado o livro “A dieta dos 2 dias”. Sucesso nos Estados Unidos e Reino Unido, ele prega uma semana com dois dias em “quase jejum” (consumo de 500 calorias) para cinco de cardápio liberado. O volume está na cabeceira de celebridades como Gwyneth Paltrow, Jennifer Aniston e Jennifer Lopez. Fechar a boca é uma boa ideia, mas tudo em excesso (mesmo a falta) acaba sendo prejudicial.

 

3 – Dieta do Frio

arrepio

Subir na balança te dá um frio na espinha? Talvez o frio seja a solução de seus problemas. Sabemos que, quando o tempo vira, o corpo queima mais calorias para manter-se aquecido. A novidade é que não precisamos ter um CEP na Europa para desfrutar deste benefício.

Sabe aquela briga eterna pelo controle do ar-condicionado que acontece entre homens e mulheres? Talvez você deva encarar uma derrota com bons olhos. É o que indica estudo do Maastricht University Medical Center (Holanda), publicado na revista Trends in Endocrinology & Metabolism. 

Frequentemente subestimado na equação da boa forma, o frio pode se tornar um aliado da balança. E um “friozinho” já basta, entre 16ºC e 25ºC.

A explicação é que, ao longo do tempo, o temido choque térmico (que tantos resfriados nos provoca) proporciona uma mudança no equilíbrio entre o consumo de energia e o peso corporal. A chave parece ser a ativação da chamada gordura marron (brown fat) que temos em meio ao nosso tecido adiposo.

Ao contrário da mais conhecida gordura branca, a escura apresenta em maior número células geradoras de calor corporal, chamadas mitocôndrias.

Para tirar vantagem da “gordura marron”, é preciso optar por ambientes levemente resfriados no escritório ou em casa – pelo menos por algum período. Com isso, o corpo trabalha sozinho em busca de um equilíbrio térmico, o que proporciona uma queima extra de calorias.

Fina como um palito de picolé? Não, não é assim tão fácil.

A estratégia só funciona se combinada com a introdução de hábitos alimentares saudáveis e atividade física na sua rotina. Ou seja, a fórmula clássica: é preciso queimar mais que acumular.

Mas, o que é gordura escura?

A gordura presente em nossos corpos é formada de duas partes. A gordura escura, também conhecida pelos cientistas como gordura marrom, é a chamada “gordura boa”.

Sua presença é necessária para queimar calorias e, assim, gerar energia. Crianças têm alta concentração desta gordura, que diminui com a idade.

A gordura marrom é mais ativa durante o inverno, quando sua função é a de produzir calor para manter o corpo aquecido.

Já a gordura branca é a indesejada, acumulada principalmente no abdomen e pescoço, tornando-se um depósito de energia que só será utilizada quando necessária – em esportes extremos ou longos períodos de jejum.

 

4 – Dieta dos 30 Minutos

A dieta dos 30 minutos

Sem tempo para perder peso? Com nova dieta, esta desculpa não vai mais colar. Novo livro garante que, com apenas 30 minutos por semana, as coisas na sua balança vão mudar. Para menor.

Para reduzir medidas, você vai ter que exercitar o pensamento. Para a nutricionista americana Sarah-Jane Bedwell, em relação à alimentação, tudo é planejamento. Desde que saímos para fazer compras até voltar e preparar a comida, enfrentamos uma rotina que conduz para o mesmo caminho – com o qual a maioria de nós não está satisfeita. Afinal, como esperar um resultado diferente se fazemos as mesmas coisas?

Seu livro Schedule Me Skinny: Plan to Lose Weight and Keep It Off in Just 30 Minutes a Week (algo como “Programe-me Magra: Planejamento para Perder Peso e Mantê-lo Longe em Apenas 30 Minutos Por Semana”) está sendo lançado nos Estados Unidos. E, pelo título, já podemos ver o interesse que vai atrair. Afinal, com a vida corrida que levamos, a falta de tempo é a maior causa (ou desculpa) de nos alimentarmos mal. Mas, 30 minutos por semana bastam?

Por si só, o sistema não parece complicado. Com papel e caneta à mão, procure concentrar-se. São 10 minutos para planejar as refeições de toda a semana. Cinco minutos para escrever a lista de compras necessária para as receitas. E, de volta do mercado, 15 minutos para preparar o cardápio que foi pensado. E você cumpre cada etapa quando pode, encaixando na rotina a ida ao mercado e, à noite, um tempinho na cozinha.

10 minutos

Em primeiro lugar, é preciso criar o cardápio, privilegiando, é claro, as escolhas saudáveis. Este critério é importante, pois vai determinar aonde ir na próxima etapa. Contando o trânsito, é importante antever o trajeto, os destinos e os melhores horários.

5 minutos

Em segundo, com uma lista certeira nas mãos, você vai às compras. Menos tempo no mercado faz bem para a carteira. De acordo com estudo do Food Marketing Institute , para cada minuto gasto dentro do supermercado, aumentamos a conta em cerca de 4 reais. Compras sem plano são conduzidas por impulso e excesso, o que leva a porções maiores e desperdício. Para cumprir esta meta, aproveite a dica dos nova-iorquinos: em mercados 24 horas, só 4% das pessoas aparecem entre 21h e 8h.

15 minutos

E, por último, segundo a autora, vem a preparação do cardápio. Que consiste em lavar e cortar os vegetais, cozinhar todo macarrão ou arroz de uma vez e separar carnes em porções. Daí, basta guardar tudo em potes separados e, na hora das refeições, montar os pratos planejados, esquentando o que precisa ir ao microondas e então servir-se.

10 + 5 + 15 = 30 minutos

Uma das dicas do livro é, no planejamento semanal, programar a preparação de três jantares – e dobrar a receita. Desta maneira, você pode guardar os pratos e ainda utilizar as sobras para, com criatividade, preparar também pratos para o almoço ou fazer sanduíches.

O livro ainda não tem previsão de lançamento no Brasil. Mas estas simples dicas já ajudam a esclarecer que a busca pela boa forma tem vários caminhos. O importante é saber aonde cada um deles pode nos levar. Ah! E aproveite o tempo economizado para comer devagar que, como vimos em matéria anterior, também ajuda a emagrecer.

LEIA TAMBÉM

 

5 – Dieta de Bandeja

Dieta de bandeja

Cada um no seu quadrado. Comer em cantinas e refeitórios utilizando o popular “bandejão” faz com que as pessoas raspem tudo, inclusive a salada. A alimentação completa não se deve, com certeza, ao tempero do chef. Tem a ver com a ordem das coisas.

Pesquisadores da Cornell University (Estados Unidos) descobriram que, quando nos servimos em bandejas, serviço comum em escolas e grandes empresas, comemos menos e sem desperdício. Com uma bandeja nas mãos e diante das opções em estilo refeitório, a tendência de 86% das pessoas é servir-se da refeição completa. 92% comem toda a salada, seguida de prato principal e sobremesa. A explicação é exatamente porque existe um lugar para cada alimento.

Sem a ordem que visualizamos na bandeja, vem o exagero. Quem se serve com um prato come 54% menos salada e, em 60% dos casos, vai “direto ao que interessa”. E ainda tende a deixar sobras. Como não têm muito espaço, e veem diante de si pouca variedade, também sentem-se compelidos a empilhar maiores porções.

Para grandes empresas que buscam oferecer melhor qualidade de vida a seus funcionários, fica a dica. Já quem, como a maioria de nós, curte informações adicionais na busca por emagrecer, podemos aprender sobre ordenar os alimentos, tanto na disposição da mesa como na montagem dos pratos.

 

6 – Dieta do Amigo Urso

A dieta do amigo urso

Como pode? Ursos consomem 58 mil calorias por dia, mas não engordam e não têm problemas de coração. Companhia farmacêutica estuda como aproveitar este exemplo para criar a cura da obesidade.

Os cientistas estudam os ursos cinzentos  na esperança de desenvolver medicamentos que combatam a obesidade. O motivo é que, apesar de seu alto consumo de gorduras e calorias, a saúde destes animais não sofre com os males que nós, humanos, infelizmente estamos nos acostumando a conviver. A espécie, cujos machos chegam facilmente aos 500 quilos, consome em média 58 mil calorias por dia e, apesar da fofura aparente, não engorda.

Antes de entrar em estado de hibernação (quando dormem durante todo o inverno), os ursos cinzentos consomem algo como 50 quilos de nozes, salmão e frutas silvestres, o que aumenta seu colesterol e pressão alta. Entretanto, ao contrário de nós, isso não afeta seus corações nem entope suas veias – e eles não se tornam diabéticos.

Atualmente, o laboratório americano Amgen pesquisa 12 ursos na Universidade de Washington (Estados Unidos) para descobrir seu segredo. Com o estudo de amostras de sangue, biópsias e demais testes, descobriu-se que os ursos modificam sua sensibilidade à insulina, hormônio que controla os níveis de açúcar e gordura no corpo. Para quem se preocupou, saiba que os animais são bem cuidados, sem que sofram agressões de nenhum tipo. É com carinho que eles colaboram para uma descoberta da qual um futuro mais saudável depende – e muito.

O Dr. Kevin Corbit, responsável pelo experimento, disse que a pesquisa foi inspirada no personagem favorito de sua infância, o Zé Colméia. A explicação é de que, apesar da comilança, ele sempre aparece em forma nas aventuras. Mas não se anime muito. Os estudos devem durar ainda mais dois anos antes de suas conclusões serem aplicadas na prática. O exemplo do Zé Colméia que você deve seguir é o da corrida – já que cada desenho animado termina com ele fugindo da confusão!

 

7 – Dieta do Lobisomen

A dieta do lobisomen

Uma nova fase na sua vida? Moda entre os astros e também conhecida como “dieta da lua cheia”, novo regime promete reduzir medidas. Só faltava essa: enquanto a Terra gira, é você quem perde peso.

Dois quilos a menos em 24 horas. É, essa é cabeluda. E já pegou, supostamente, estrelas como Demi Moore e Madonna. A teoria da “dieta do lobisomen” relaciona o efeito da gravidade que o satélite natural do nosso planeta exerce nas marés ao controle dos líquidos que carregamos em nossos corpos.

A ideia é ficar de olho na folhina. De acordo com o site MoonConnection.com, consumir mais fluidos a cada lua nova ou cheia estimula a atividade renal, permitindo ao corpo eliminar melhor o excesso de líquidos. Este trabalho extra dos rins garante uma limpeza das toxinas que se acumulam nos tecidos, provenientes da má alimentação e do stress diário. Tudo para promover um detox e fortalecer nosso sistema imunológico.

A recomendação muda com as demais fases da lua. Na lua crescente, deve-se comer com equilíbrio e, na lua nova, um pouco menos. Ao contrário do apetite dos lobos, aqui o segredo é parar de comer assim que se sentir satisfeita, e jamais ceder aos doces.

Mais uma vez, esta notícia está aqui para mantê-la atualizada. Afinal, a fórmula da boa forma é feita deinformação e bom senso.

 

8 – Dieta da Pimenta

Pimenta

Você sabia que a pimenta, quando consumida nas refeições, estimula o organismo a diminuir o apetite nas seguintes? Além disso, cada grama de pimenta queima até 45 calorias e derrete os estoques de energia acumulados em forma de gordura corporal.

Outra curiosidade sobre a pimenta é que doses extremamente altas podem levar ratos à morte, mas em humanos, seria necessário consumir, de uma só vez, cerca de 1,8 litro de molho de pimenta picante para o indivíduo ficar inconsciente. Afinal, uma ardidinha na língua de vez em quando não faz mal a ninguém!

 

9 – Dieta do tipo sanguíneo

Dieta do tipo sanguíneo desmascarada

É difícil perder peso. Mas pior ainda é saber que a dieta que você segue há anos está errada. Recentemente, cientistas colocaram a famosa Dieta do Tipo Sanguíneo no microscópio. E o resultado está decepcionando milhares de pessoas. 

O livro A Dieta do Tipo Sanguíneo, publicado em 1996, tornou-se um enorme sucesso em todo o mundo. A obra foi traduzida para 52 idiomas e vendeu mais de 7 milhões de cópias. Segundo o autor, oDr. Peter D’Adamo, pessoas com diferentes tipos sanguíneos processam alimentos de maneira diferente. Então, para ter uma boa saúde e diminuir o risco de doenças crônicas, a teoria apregoa uma dieta para cada tipo de sangue: quem têm sangue Tipo O deve comer mais carne e encarar exercícios vigorosos. Para os do Tipo A, a recomendação é a de que se tornem vegetarianos, concentrando a alimentação nos carboidratos. Para quem tem o Tipo B, a dieta prescreve ênfase nos laticínios e exercícios de baixo impacto. Para os de sangue AB, basta misturar o que gostam e que é recomendado tanto para os tipos A ou B.

Tudo ia bem, até os pesquisadores da University of Toronto divulgarem estudo recente que afirma que este regime não funciona. Segundo o coordenador do estudo, Dr. Ahmed El-Sohemy, chefe do Departamento de Ciência da Nutrição, “a maneira de um indivíduo reagir a qualquer uma das dietas não tem qualquer relação com o seu tipo de sangue, mas sim com a sua capacidade de manter uma alimentação sensivelmente vegetariana ou pobre em carboidratos”. Ou seja, para perder peso não tem segredo nem fórmula secreta: além de mudar hábitos de alimentação, é preciso “dar o sangue” na academia.

 

10 – Dieta Dukan

e-agora-dukan

A credibilidade subiu na balança. Processado por promover comercialmente sua dieta e enfrentando várias críticas, o Dr. Pierre Dukan está proibido de praticar a medicina em seu próprio país. Com milhões de seguidores em todo o mundo, fica a pergunta: e agora?

Acusado de transformar a medicina em um negócio, o Conseil National De L’ordre Des Médecins da França (órgão equivalente ao Conselho Federal de Medicina do Brasil) cassou definitivamente a licença para que Pierre Dukan se apresente como médico.

Mesmo tendo se desligado na associação em 2012, Dukan não conseguiu impedir o processo disciplinar que decidiu por sua expulsão. A partir de agora, seu método passa a ser encarado como mais uma jogada de marketing que uma dieta responsável.

O famoso Método Dukan, baseado em uma dieta que privilegia o alto consumo de proteínas, há tempos provoca críticas dos médicos, por provocar desequilíbrios alimentares em seus praticantes. Além da desconfiança em seu próprio território, a Associação Britânica de Dietistas incluiu o método Dukan em sua lista de “cinco dietas de famosos a serem evitadas”. A Agência Francesa para a Segurança Alimentar alertou sobre os riscos físicos decorrentes da dieta, como a insuficiência renal e o risco cardiovascular. Na Espanha, onde seu principal livro vendeu mais de 150 mil exemplares, o Grupo de Revisão, Estudo e Posicionamento da Associação Espanhola de Dietistas-Nutricionistas considerou, num relatório de 2011, que o método é uma fraude.

Declarações de Dukan na mídia revelam que o processo não o preocupa. Ele considera sua expulsão uma “história antiga”, e prefere fazer acusações de que seus colegas preferem manter atrasada a medicina em relação à perda de peso.

Em sua defesa, lembrou que o atual presidente francês, François Hollande, emagreceu durante a campanha eleitoral graças a seu método. E que o mesmo é acessível a qualquer pessoa que se disponha a pagar seis euros, o preço de seu livro – que já vendeu 13 milhões de exemplares em todo o mundo. O “estrago” é grande. Ao todo, Dukan publicou cerca de 20 títulos, traduzidos para 26 idiomas. Em 2008, abriu um serviço de coaching via internet, que em três anos foi utilizado por 250.000 pessoas. A estimativa é a de que seus negócios movimentem 100 milhões de euros por ano (cerca de 325 milhões de reais).

O recado é o de sempre: cuidado com as dietas da moda. A propaganda é a alma do negócio. Mas a sua saúde, não.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*