Home / Pele / 4 Dicas de Depilação com cera sem dor

4 Dicas de Depilação com cera sem dor

É comum sentir dor durante a depilação, mas para algumas mulheres o desconforto chega a ser insuportável. Em casos assim, alguns cuidados podem fazer toda a diferença. Conheça-os a seguir.

Leia também

Esfoliante para desencravar pelos: receita caseira para antes da depilação

Dicas para evitar pelos encravados na depilação com lâmina

Fim dos Pelos encravados

 

Depilação sem dor: como fazer

Cera quente ou fria?

A dermatologista Angélica Pimenta, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que a depilação com cera quente é a melhor escora, pois a alta temperatura abre os poros e facilita a saída dos pelos, reduzindo a dor.

Tipos de cera para depilação: melhores opções

Alguns tipos de cera diminuem a dor.

A dermatologista Angélica Pimenta, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que usando uma cera adequada as chances de sentir dor durante a depilação são menores. “Ceras com algas marinhas, camomila, capim santo e mel entram nas alternativas mais recomendadas para peles sensíveis, pois acalmam, refrescam e anestesiam”, explica a dermatologista.

Também estão recomendadas ceras compostas por óleo de cravo, também chamado de eugenol, que atua como antisséptico e anestésico natural, reduzindo riscos de infecções locais e amenizando a dor.

Anestésicos

Existem ceras que possuem mistura de anestésicos, como lidocaína e prilocaína, que reduz muito a dor. Também é possível utilizar cremes anestésicos antes da depilação com cera, mas com prescrição de um dermatologista, já que o medicamento em grandes quantidades pode fazer mal ao organismo.

Mas cuidado, por diminuírem a sensação de dor, você pode se machucar sem perceber ao usar esses produtos. Por isso, o ideal é fazer a depilação com um profissional experiente e em quem você confia.

Quando fazer depilação

“O ideal é não realizar o procedimento durante ou próximo da fase da menstruação, já que o período potencializa a dor devido à liberação de uma substância inflamatória chamada prostaglandina”, explica Angélica Pimenta. A mulher retém líquido nessa época e o inchaço comprime as terminações nervosas, resultando na dor local.